Publicado em

O que é hipertensão arterial, causas, sintomas e tratamento

Problemas de saúde são condições que diretamente afetam nosso bem-estar e consequentemente nossa qualidade, pois, normalmente são incapacitantes. Diante dessa situação, é importante conhecer as causas dos problemas que podem levar o surgimento de doenças, para que medidas preventivas ou então reversivas sejam tomadas.

Pensando em problemas de saúde, logo nos vem à cabeça uma série de doenças, e hoje falaremos sobre um dos mais famosos tipos de doença que atinge os brasileiros, a hipertensão arterial, um grave problema de saúde popularmente conhecida como pressão alta.

Antes de falarmos sobre essa patologia, precisamos explicar o que é pressão arterial.

Índice

Pressão arterial, o que é?

A pressão arterial nada mais é do que a pressão exercida pelo sangue no interior de nossos vasos sanguíneos, as principais causas disso acontecer, é que o sangue se movimente por todo o nosso organismo levando oxigênio e nutrientes para nossos tecidos e órgãos.

Quanto maior for a quantidade de sangue bombeado pelo coração por minuto, maiores serão os valores de pressão, que possuem dois números, o valor máximo também chamado de sistólico e o mínimo conhecido como diastólico.

O primeiro valor diz respeito a força de bombeamento do coração, enquanto que o segundo se refere à pressão exercida pelo sangue nos vasos sanguíneos periféricos, ou seja, pernas, braços e também região abdominal.

Excesso de peso, alimentação rica em sal, utilização de medicamentos, tabagismo, prática de atividades físicas podem fazer com que os valores de pressão sofram os mais variados tipos de alterações.

É importante ressaltar que a pressão não é algo fixo, podendo variar de acordo com o estado ou situação da pessoa nos mais variados momentos. Se uma pessoa está parada, carregando peso, nervosa, deitada, ou em pé, por exemplo, os valores de pressão podem variar.

O valor considerado normal por médicos cardiologistas é quando o máximo atinge 120 mm Hg e o mínimo 80 mmg. Na linguagem popular é o famoso 12 por 8.

Afinal, o que é hipertensão arterial?

Esse é um questionamento muito feito por pacientes diagnosticados com essa doença. “O que é hipertensão? ” Muitos se perguntam. Pois bem, vamos lá

A hipertensão arterial, popularmente chamada de pressão alta é considerada uma doença bastante silenciosa, pois muitas vezes não manifesta sintomas e acaba por atrasar o diagnóstico correto dos médicos.

Esse problema de saúde, normalmente se instala quando a pressão dos pacientes com idade superior a 18 anos é superior a 140 x 90 mmHg (milímetros me mercúrio) ou então o popular 14 por 9.

De acordo com a SBS – Sociedade Brasileira de Hipertensão, é estimado que 25% da população brasileira sofra por conta de hipertensão arterial, sendo que no público com mais de 60 anos de idade, essa porcentagem se eleva para mais de 50%.

Além desses números é importante ressaltar que a pressão alta, é responsável por uma série de outros problemas de saúde, dentre os principais estão:

  • Infartos;
  • Derrames;
  • Insuficiência renal.

É muito importante salientar, que esse tipo de patologia infelizmente não tem cura, os pacientes diagnosticados com ela, serão submetidos a tratamento para o resto de suas vidas.

No entanto, é importante dizer, que o tratamento para esse e muitas outras doenças é tranquilo, como veremos mais adiante nesse artigo.

Classificação de pressão arterial

Os valores de pressão possuem um índice de classificação que normalmente varia levando em consideração sua gravidade e são classificadas de seguinte maneira:

  • Normotensos – pressão arterial menor ou igual a 12 por 8;
  • Pré-hipertensos – pressão arterial entre 12 por 8 e 13 por 9;
  • Hipertensos Grau I – pressão arterial entre 14 por 9 e 15 por 9;
  • Hipertensos grau II – pressão arterial maior ou igual a 16 por 10.

Existem também os pacientes ansiosos que possuem o que os médicos chamam de pressão alta emocional, ou seja, quando a pressão arterial se eleva por conta de ansiedades ou situações estressantes. Esse tipo de ansiedade é bastante comum durante consultas médicas.

Embora essa condição de saúde não seja uma hipertensão de fato, ela normalmente ocorre em pessoas que têm predisposição para desenvolver pressão alta.

Causas da hipertensão

A pressão se torna elevada por uma série de causas diferentes. Dentre as mais variadas delas, a alimentação com excesso de sal é um dos principais causadores da hipertensão arterial sistêmica.

Além da alimentação e da grande quantidade de sal, outros fatores influenciam de maneira direta no surgimento desse problema. O que causa pressão alta? A resposta vem logo a seguir.

  • Herança genética, ou seja, histórico de pacientes com pressão alta;
  • Obesidade ou simplesmente excesso de peso;
  • Diabetes;
  • Tabagismo;
  • Colesterol, ou seja, presença de gordura no sangue;
  • Sedentarismo;
  • Consumo excessivo de bebida alcoólica;
  • Altos níveis de estresse.

Portanto, não é fácil notar que existem diversas causas para o surgimento dessa temida patologia.

Além disso, outras dentre tantas causas está diretamente ligada à herança de raças, normalmente pessoas negras são mais propensas ao desenvolvimento de pressão alta.

Sintomas de hipertensão

A pressão arterial alta, a exemplo de uma série de problemas de saúde possui sintomas bastantes específicos que quando notado por pacientes, amigos, parentes ou cônjuges, podem ser de grande auxilio no diagnóstico precoce da doença.

Os sintomas mais clássicos dessa doença muitas vezes causada pela má alimentação repleta de sal são:

  • Fortes dores na região da nuca;
  • Vista embaçada acompanhada de olhos cansados;
  • Cansaço extremo sem causa aparente – sentimento de estar carregando excesso de peso;
  • Tonturas;
  • Sangramentos no nariz e gengivas;
  • Náuseas;
  • Vômitos.

Por isso é muito importante manter as consultas e exames em dia, além é claro de ter uma alimentação saudável, sem grandes quantidades de sal e principalmente controlar o peso, uma vez que a obesidade também pode levar o surgimento desse tipo de doença.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de pressão alta só pode ser fechado por um médico, de preferência cardiologista, por isso é importante que pessoas diagnosticas com doenças dessa magnitude passem por consulta uma vez a cada seis meses.

Para pessoas que são consideradas saudáveis o acompanhamento médico deve ocorrer pelo menos uma vez por ano, para que possíveis causas de problemas possam ser diagnosticadas de maneira precoce, e caso algo seja diagnosticado um tratamento adequado buscando a cura possa ser iniciado.

A pressão alta muitas vezes é diagnosticada através da aferição da pressão arterial, além de alterações em exames laboratoriais bastante específicos.

Para diagnosticar a doenças dessa magnitude, médicos normalmente baseiam-se em resultados dos seguintes exames:

  • Urina tipo I;
  • Hemograma completo;
  • Hematócrito;
  • Ureia e creatinina;
  • Sódio e Potássio;
  • Glicemia em jejum;
  • Cálcio;
  • TSH;
  • T4;
  • Colesterol total e frações.

Com esses exames em mãos, todo e qualquer médico será capaz de diagnosticar tanto a pressão alta, quanto os mais variados tipos de doenças que podem acometer as pessoas e já indicar um tratamento adequado.

Prevenção e tratamento

Se você é hipertenso, certamente já ouviu do seu médico que esse problema não tem cura.

Embora seja uma verdade um tanto quanto incomoda, o fato da pressão alta não ter cura não é algo que deva causar desespero, tampouco preocupações, afinal, uma série de tratamentos e prevenção podem ser tomadas para que essa patologia seja controlada da melhor maneira possível.

Mostraremos a seguir a melhor forma de prevenir a pressão alta, confiram.

Alimentação saudável

Embora a pressão alta não tenha cura, uma das melhores formas de controlar essa temida e incomoda patologia se dá principalmente através de uma alimentação saudável, através da ingestão de alimentos sem sal.

Exemplos de alimentos ricos em sal que devem ser evitados:

  • Embutidos – como presunto, frios e salsicha;
  • Bolachas recheadas;
  • Bolos industrializados;
  • Bebidas gaseificadas;
  • Sucos artificiais.

Além de evitar ao máximo os alimentos ricos em sal, o consumo de vegetais e principalmente cereais integrais também é parte fundamental do tratamento dessa patologia.

O sucesso do tratamento está intimamente ligado à alimentação, uma vez que alimentos ricos em sal, gordurosos e de má qualidade influenciam diretamente no ganho de peso e aumentam os níveis de colesterol e gorduras sanguíneas e são causas diretas da hipertensão arterial.

Uma alimentação saudável é tão ou até mais eficaz do que utilizar variados remédios.

Muitos pacientes se questionam por quais motivos o sal é tão maléfico nessa patologia? Pois bem, o sal, faz com que a água seja jogada para fora das células, causando desidratação, e dificultando ainda mais a fluidez do sangue. Por isso, médicos recomendam se alimentar da maneira mais adequada possível.

Diminuir o consumo de álcool

Tão importante quanto controlar a alimentação, reduzir o sal e controlar o peso ou então tomar remédios, diminuir o consumo de álcool é parte primordial do tratamento da pressão alta.

Embora nada possa ser considerado como cura da hipertensão, o álcool muitas vezes sobrecarrega o organismo e pode ter o efeito tão ou mais maléfico do que o sal, podendo ser considerado causador de muitos outros tipos de doenças ou problemas de saúde.

Praticar atividades físicas

A prática de atividades físicas é uma ótima forma de tratamento, embora não seja a cura da pressão alta. A recomendação de praticar atividades físicas é tão importante quanto reduzir o sal da alimentação, pois é capaz de controlar o peso das pessoas e fazer com que esse e demais tipos de doenças, além da hipertensão, se instalem de modo maléfico à saúde de toda e qualquer pessoa.

Caminhada, corrida, natação, levantamento de peso, andar de bicicleta possuem o efeito de uma série de remédios à saúde de quem tem pressão arterial elevada.

Além de ser eficaz contra a pressão alta e muitos outros tipos de doenças, a caminhada libera altas doses de endorfina e serotonina, fazendo com que os praticantes se sintam extremamente bem, além de proporcionar sensações de cura, alegria e felicidade plena.

Sem sombra de dúvidas, a melhora parte do tratamento é a prática de atividades físicas.

Reduzir o cigarro

O cigarro ou outra qualquer outra forma de tabagismo é totalmente maléfica à saúde de pacientes com pressão alta. Isso ocorre pelo simples fato da nicotina entupir veias e artérias e facilitar a ocorrência dessa patologia, uma vez que diminui a passagem do sangue pelos vasos sanguíneos facilitando a ocorrência de pressão alta.

Médicos, nutricionistas e fisioterapeutas concordam que o cigarro é tão maléfico quanto o consumo exagerado de alimentos ricos em sal.

O cigarro muitas vezes também responsável pelo surgimento de muitas outras doenças, como câncer de pulmão, enfisema pulmonar e diabetes. Muitas pessoas que fumam possuem excesso de peso, e até mesmo fazem uso de remédios para tentar abandonar o vício.

Embora essa patologia não tenha cura, reduzir ou então largar o vício do cigarro é um paço gigantesco visando uma vida mais saudável.

Remédios também são alternativas de tratamento

Embora a doença tenha as mais variadas causas e não tenha cura, os remédios são boas opções de tratamento para quem sofre com a pressão alta.

Os remédios recomendados para o tratamento dessa e muitas outras doenças são bastante eficazes e muitas atuam diretamente nas principais causas desse problema, como alimentação rica em sal, excesso de peso corporal, acúmulo de nicotina nos vasos sanguíneos, por exemplo, sempre visando a melhora do estado de saúde geral de muitos pacientes.

Embora sejam desenvolvimentos para tratamento e efeitos benéficos, os remédios podem trazer uma série de efeitos adversos a quem tem pressão alta.

Dentre os principais efeitos adversos causados pelos remédios para o tratamento dessa patologia estão:

  • Cansaço extremo;
  • Boca seca;
  • Dores de cabeça;
  • Dificuldades de concentração;
  • Irritabilidade;
  • Arritmias cardíacas;
  • Insônia;
  • Zumbido no ouvido;
  • Acumulo de gordura corporal;
  • Ganho indesejado de peso;
  • Alterações hormonais;
  • Surgimento de doenças neurológicas;
  • Náuseas;
  • Ânsia de vômitos;
  • Diarreia;
  • Prisão de ventre;
  • Tonturas;
  • Visão embaçada;
  • Visão dupla;
  • Alergias;
  • Surgimento de acnes;
  • Queda de cabelo.

É importante dizer que a utilização de todo e qualquer tipo de remédios, para o tratamento da hipertensão só deve ocorrer de maneira controlada, ou seja, através de recomendação médica.

A automedicação é uma prática considerada extremamente perigosa, inclusive sendo considerada como uma das principais causas do surgimento de uma série de outras patologias nocivas ao bem-estar de toda e qualquer pessoa.

Existem médicos que consideram a automedicação muito semelhante com a ingestão de sal, ou seja, capaz de propiciar o surgimento dessa patologia.Portanto, evite utilizar todo e qualquer tipo de remédios por conta própria pensando estar se submetendo a um tratamento eficaz.

Além disso, cessar o uso de remédios indicados para o tratamento da hipertensão sem o conhecimento médico também pode causar desordens fisiológicas e não servirá como cura. O mais aconselhado, sempre é seguir de maneira estrita as recomendações de seu médico de confiança.

Conclusão

Embora essa patologia não tenha cura e possua as mais variadas causas, ela pode ser facilmente evitada através de simples ações, como uma alimentação com pouco sal, práticas de atividades físicas regulares e diminuição do estresse.

Preze pelo seu bem-estar, faça boas escolhas e colha os benefícios disso de uma vida saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *